Adultérios do Ashley Madison estão na rede

quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Os dados roubados do site Ashley Madison foram disponibilizados pelo grupo Impact Team.

O site Ashley Mandison promove o adultério, encontro para pessoas casadas e comprometidas, e carregava consigo a marca da discrição. Além de promover os casos extraconjugais, o site usa o o slogan "A vida é curta. Tenha um caso”. O site de encontros teve seu banco de dados invadido há cerca de um mês, deixando as 40 milhões de contas, número estimado pelos responsáveis, em uma situação bastante delicada!

Os dados foram divulgados porque a Avid Life Media, empresa que mantém o site de encontros Ashley Madison, não cedeu às exigências dos hackers que ameaçaram divulgar os dados caso o site não fosse retirado do ar.

Utilizando um endereço Onion da Deep Web, um grupo que se autodenomina "Impact Team", vazou na última terça-feira um pacote com quase 10 gigabytes de dados do site Ashley Madison. Os arquivos incluem, além de registros de 9,6 milhões transações via cartão de crédito, mais de 32,7 milhões os dados pessoais dos membros contendo por exemplo:

* Usuário
* Nome e sobrenome
* E-mail
* Senha (hash)
* Dados parciais de cartão de crédito
* Endereço
* Telefone

Na declaração publicada junto ao pacote de dados, o grupo Impact Team afirmou que até 95% dos cadastros no Ashley Madison eram de homens e quase todos os perfis femininos eram falsos, para reforçar sua que o site é uma fraude.

Para confortar os cônjuges dos membros do site, os hackers apontaram: "é provável que seu homem tenha se registrado no maior site de casos do mundo, mas nunca teve um. Ele só tentou. Se é que essa diferença importa."

Imagen: declaração do Impact Team junto os arquivos vazados do Site Ashley Madison (Foto: Reprodução)

Quantas infelicidades serão reveladas e quantos casamentos não seriam desfeitos? Não duvidemos que isso possa acontecer. 

Devemos lembrar que este não foi o primeiro caso, o que reforça a importância e a atenção na segurança e proteção da sua vida digital. O site de namoro Adult FriendFinder teve dados de seus usuários expostos, onde fetiches e preferências sexuais de mais de 3,5 milhões de usuários foram divulgadas.

Baseado neste cenário, trago algumas reflexões a respeito de quem deve se preocupar com a segurança digital:

* Responsáveis por sites e aplicativos?
* Assinantes que podem ter seus segredos revelados?
* Ambos?
* Será que as autoridades deveriam aperfeiçoar as investigações e punições para casos do tipo?

É sempre importante lembrar que, de posse de dados pessoais importantes e/ou informações íntimas, criminosos têm muito poder. Por exemplo, dependendo da intenção, um grupo de criminosos pode até criar um site que relacione pessoas a seus amantes. Consegue imaginar o estrago? Será que o amor resistiria a esse golpe ou é melhor nos prevenirmos? 

Na dúvida, é melhor nos protegermos e saber por onde estamos andando no ambiente digital.



Leandro Bennaton
leandro.bennaton@11paths.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário